post da Martinha Fonseca

Restaurantes em Miami

O que não falta é lugar para comer bem na cidade

31 jul 14

Uma das coisas mais bacanas para fazer em Miami é aproveitar a oferta enorme de restaurantes que a cidade tem. Meu deus, é muita comida boa e até quem quiser comer hambúrguer (eu sou esse tipo de gente!hahah), existem excelentes opções nessa área.

Reunias melhores experiências que eu tive na cidade durante meus diazinhos de férias e trouxe para vocês. Quem tiver com viagem marcada, anota aí! Quem não tiver, anota do mesmo jeito. Vai que um dia você precisa, né? :)

rest-miami3rest-miami5

Juvia
1111 Lincoln Rd, Miami Beach, FL 33139

Esse é um dos mais conhecidos restaurantes de Miami e merece toda a fama. Para começar, a vista é maravilhosa! O restaurante fica no topo de um prédio, e tanto na área interna ou externa, o ambiente é agradável e a vista, como disse, incrível! A comida é deli, os drinks muito bons também. A sobremesa era um sorvete com alguma coisa de doce de leite que meodeos, de comer rezando!
Fizemos a reserva pelo Open Table quando ainda estávamos no Brasil porque o restaurante costuma ser bem concorrido. Não é um restaurante barato, mas vale muito à pena. Acho que é um dinheiro bem gasto, principalmente em viagens. Gosto de comer bem, sabe?

rest-miami1 rest-miami2
Zinburguer – Wine & Burger Bar
Sawgrass Mills (Outlet)

Esse restaurante acabou de abrir lá. Novinho, novinho! E uma delícia! Como eu disse, até para quem quer comer hambúrguer é possível comer um bom hambúrguer. No caso desse, um excelente hambúrguer! As batatas fritas, para começar, eram incríveis – tinha uma de batata doce (a laranjinha da foto acima), que era sen-sa-cio-nal! E os hamburguers então…top! O preço da conta deixou tudo ainda melhor: bem baratex. Comemos muitas batatas, vários referi, sobremesa, hambúrguer e deu 20 e poucos dólares para cada.

Sem contar que ele fica no amado e enooooome outlet Sawgrass Mills. Vale muito passar lá para recarregar as energias para ter fôlego de passear por todo o outlet. É enorme! Fomos dois dias lá e nos dois dias, almoçamos no ZinBurger :)

—-

Bem, agora me prometam que não vão parar de ler o post só porque as fotos não estão tão lindas como as anteriores. Abaixo, fotos de restaurante incríveis que fomos no primeiro e no último dia, respectivamente. Em ambos, a bateria da câmera foi-se embora, então tive que clicar com o iphone mesmo. Sejam compreensivas, tá?

hihihih

rest-miami6

Hakkasan
4441 Collins Ave, Miami Beach, FL 33140

Esse restautante é super conhecido e existem várias unidades dele em várias cidades (londres, NYC, Mumbai, Beverly hills, Xangai, etc) e vale à pena ir em todos eles, se você puder. A experiência é top! O Hakkasan é um restaurante de comida chinesa moderna e a quantidade de sabores novos que você experimenta e adora é incrível. Saí querendo voltar, ficar mais, comer de novo. A oferta de comida é bem grande, então pedimos alguns pratos e todo mundo provou de todo mundo. Gostei especialmente do porco, que na foto acima é o que aparece com uma “rede branca” (foto superior direita). Deli, deli!

A música do restaurante é incrível, dá vontade de levantar e dançar! E como se tudo isso ainda fosse pouco, o Hakkasan de Miami fica no hotel Fonteinebleu, um dos mais incríveis  e luxuosos da cidade. Vale muito à pena ir! Não é barato, mas é muito bom, a comida é deliciosa e bem servida.

rest-miami7

Michel’s Genuine – Fresh, Simple, Pure
130 NE 40th St, Miami, FL 33137

E para finalizar (ainda com fotos de iphone, sorry!), o Michel’s. Ah, o Michel’s! Caimos de paraquedas nele e foi um das gratas surpresas da viagem. Chegamos em miami umas 18h, por volta da 20h abrimos o Open Table, vimos um restaurante com boas recomendações e que ainda tinha disponibilidade (reservamos a mesa para o último horário disponível!) e fomos. O restô fica no Design District, uma das regiões mais moderninhas e hypadas da cidade, com galerias de arte, lojas de decoração e loja de moda de luxo (Celine, Hermes, Louis Vuitton, e cia). O atendimento é muito bom, e a comida…meodeos, a comida! Lembro até hoje que escolhemos uma entrada com pêssegos com sal, pimenta e azeite que minhanossasenhora, quero repetir isso mil vezes! Deli! Os pratos principais também eram ótimos, misturavam ingredientes e sabores inusitados, era mesmo muito bom. Cada mordida uma sensação, sabe? Amo restaurante assim!

Indico muito!!! O preço é ok, nem barato nem super caro. Vale à pena ir!

Por fim, só uma dica: como queríamos aproveitar muito o dia (é verão nos EUA agora, o sol se põe super tarde…), sempre escolhíamos a reserva para o horário mais tarde possível. Só que com isso chegávamos faltando pouquíssimo tempo para o restaurante fechar e os garçons traziam o prato principal quando você ainda estava terminando de mastigar a entrada. Sabe como é? Não gosto meeeesmo quando isso acontece, me sinto sendo expulsada…e acaba que estraga um pouquinho o clima do jantar. Afinal, a gente quer sentar, conversar, relaxar…tô de férias, pô! :P Então, se quiserem comer com um pouco mais de tranquilidade, cheguem um pouquinho mais cedo, tá?

Gostaram das dicas, madames?

Categoria: viagem
post da Martinha Fonseca

Livro de Madame: As obras de Sophie Kinsella

"Fiquei com seu número" & "A lua de mel"

23 jul 14

A pessoa que vos escreve (a.k.a. eu) não teve ter juízo algum. Resolve estrear uma nova tag no blog e já de cara traz dois livros para resenhar em um post só. Pode isso, Arnaldo?

Bem, isso não é mesmo uma das coisas mais inteligentes. Mas como li os dois livros em um período relativamente curto (teve “A Culpa é das Estrela entre um e outro, mas esse eu não vou resenhar porque vocês já devem estar cansadas de saber, né?) e os dois foram escritos pela mesma autora, me pareceu lógico – embora mais trabalhoso – fazer um post 2 em 1. Espero que não me julguem mal pela escolha e nem pela resenha em si, tá? Lembrem-se que estou entrando nessa área agora, e mesmo sendo formada em jornalismo, resenhas de livros são complexas. Por aqui, apenas uma dica de “livro de madame”, nossa nova tag (yey!) para compartilhar minha experiência com o mundo da leitura. Porque, né, coisa boa nessa vida é ler.

livros1

Sophie Kinsella é uma autora britânica e foi ela que me apresentou Becky Bloom por quem sou apaixonada – eu não li “Os Delírios de Consumo de Becky Bloom”, confesso, mas gargalho até hoje com o filme quando passa no Telecine; e eu sei que livros e filmes dos livros nunca são a mesma coisa, mas a referência foi boa e confesso que foi por isso que comprei meu primeiro livro dela, o “Fiquei com seu número”. Vinha de uma sequência de livros de moda, e queria um livro bacaninha, leve e engraçado para me distrair. Acertei em cheio!!! “Fiquei com seu número” é simplesmente genial.

O livro conta a história de Poppy Wyatt, que está noiva do bonitão e bem-sucedido Magnus Tavish. Daí que justamente na sua festa de despedida de solteira duas “tragédias” acontecem: Poppy perde o tradicional anel de noivado que ganhou de Magnus e que estava na família Tavish por anos e, para piorar tudo, perde também seu celular. E é aí que a história do “Fiquei com seu número” acontece: por sorte, ela acha um celular abandonado no lixo do hotel onde ocorreu a despedida de solteira e como a própria Poppy diz, “achado não é roubado”. Mais para frente na história, a gente descobre que o tal celular é do executivo Sam Roxton e a história fofa, cheia de situações engraçadas, começa a se desenrolar.

O que eu mais gosto desse tipo de livro é que mesmo imaginando desde a primeira página como vai ser o final, eu não deixo de me divertir e de me deliciar com a leitura, sabe? Sophie (sim, sou íntima) tem uma linguagem incrível, desenvolve as histórias com um ritmo muito bacana e os diálogos são incríveis. Poppy é apaixonante. Fico pensando que mesmo que conseguisse pensar numa história tão incrível, jamais conseguiria transformá-la em um livro, com diálogos, personagens e suas personalidades. E é isso que me prende a um autor: a capacidade dele de fazer algo que eu não conseguiria, me surpreender com algo que eu já sabia que iria acontecer. Ai, amo romances água com açúcar bem escritos.

Na minha escala de madame, de 0 a 5, “Fiquei com seu número” recebe 5! Me diverti, dei risada, fiquei ansiosa para o próximo capítulo, completamente desesperada quando percebi que estava chegando ao fim, e completamente órfã quando de fato cheguei ao fim.

livros2

Daí, empolgada pela primeira leitura, segui com “A lua de mel”: Lottie acha que está pronta para subir ao altar, mas parece que seu namorado, Richard, não se deu conta disso. Decepcionada, ela dá um basta! É quando recebe uma ligação de Ben, uma antiga paixão, lembrando-a da promessa que fizeram no passado de se casarem se ambos ainda estivessem solteiros aos 30 anos. Mas nem todos ficam animados com essa situação no mínimo inusitada – é o caso de Fliss, a irmã mais velha de Lottie e Lorcan, amigo de Ben.  Dispostos a abrir os olhos do casal, Fliss e Lorcan embarcam para a ilha de Ikonos, onde farão de tudo para sabotar a Lua de Mel.

É mais ou menos assim (eu encurtei um pouquinho, hehehe) que o próprio livro se resume. Li, achei interessante e empolgada com a leitura anterior, comprei.

Impossível não comparar um livro com o outro, e Fiquei com seu número é infinitamente melhor. É óbvio que A Lua de Mel é sim um bom livro, e já no início eu dei umas belas gargalhadas quando a própria Lottie resolveu pedir Richard em casamento (isso não é exatamente um spolier tá? Acontece nas 10 primeiras páginas do livro…). ps: Nessa hora, o boy, que estava do meu lado surpreso com minha reação, me perguntou qual era a história do livro…e como eu estava no início do livro, só tinha essa parte para contar; e por aí vocês podem imaginar o tamanho dos olhos de Daniel, arregalados para mim, ao me ouvir relatando a cena. Acho que ele deve estar com medo até hoje de eu pedir ele em casamento…hahahaha #fiquecalmodan #ésóumlivro 

Minha mini decepção com A Lua de Mel se dá pelo menos motivo que me fez curtir o livro: a história acontece narrada vezes pela própria Lottie, vezes pela irmã dela, Fliss. E o problema começou quando eu percebi que gostava mais da história de Fliss com Lorcan, do que do triângulo Lottie-Ben-Richard. Pode isso, Arnaldo?

É preciso pontuar que os diálogos bacanas e inteligentes, e a história bem desenvolvida que me fizeram me apaixonar pelos livros de Sophie continuam ali. O livro é bom, tá? Mas é que por vários momentos eu gostaria de saber mais da vida de Fliss, recém-separada, meio amargurada, lutando para manter o humor e criando um filho de 7 anos que teve com um ex marido totalmente dispensável (aff, odeio ele!). Me identifiquei com essa história mais do que com o casamento repentino de Lottie com um amor antigo….me pareceu um tanto absurdo demais, sabe? E olha que você achar um celular no lixo e ficar com ele para você, conversando com o dono do celular e trocando emails com ele, também não é nada muito comum. Mas é que, ainda assim, casar com um amor de infância não me convenceu…eu não embarquei tanto na história como no livro anterior.

livros3

Mas olha, eu curti os dois livros. Eu ainda estou numa fase “quero uma leitura leve” e já engatei em outro livro do qual falo em breve por aqui. De todo modo, para quem ainda não leu nenhum dos dois, eu recomendo sim. Ambos. Embora, se for para escolher, o Fiquei com seu Número, para mim, é bem melhor.

E vocês, madames, já leram esse ou outros livros de Sophie Kinsella? O que acharam?

E o que acharam do meu post? Contem-me tudo, não me escondam nada! ;)

 

 

Categoria: Livros
post da Tayza Queiroz

Cantinho de Madame

Como deixar seu momento Madame ainda mais charmoso!

11 jul 14

Não tem como negar: madame que é madame sempre dá um jeitinho de separar um momento – ou vários – do dia para cuidar de si mesma! E nada mais gostoso do que ter um cantinho em casa todo dedicado a isso, onde temos todos nossos produtinhos ao alcance das mãos prontos para serem usados! É ou não é?

Para cada área do corpo tem um produto especifico, e como se isso ainda fosse pouco, sempre acontece aquele momento consumisteaem que compramos vários produtos novos para testar, e no final, se a gente não se organizar, eles acabam se acumulando nas prateleiras e deixando tudo uma bagunça! E vamos combinar que não basta só ter os produtos, eles precisam estar organizados e em um local de fácil alcance para que a gente tenha noção de tudo o que temos e para que a gente possa o que procuramos mais facilmente. Ter e não usar, não dá, não é?

Pois, então, para ajudar as Madames a ficarem ainda mais Madames, hoje darei dicas de como organizar esse nosso cantinho, deixando tudo à mostra e fácil, fácil de pegar.

Quem tem a sorte de ter um closet ou um banheiro grande com aquele espelhão que a gente enxerga defeito até onde não existe (hehehe, quem nunca?) e muito bem iluminado, uma dica de mestre para deixar tudo ainda mais incrível: para se maquiar a iluminação tem que ser amarela, viu, minha gente?? Luz branca destorce a cor da maquiagem final!! Já pensou no prejuízo???

Para quem já tem essa bancada dos deuses à disposição, a minha dica é projetar as gavetas com divisórias para deixar os produtos separados por tipo. Se a parte de cima da bancada for de vidro, melhor ainda porque facilita na hora de achar o que precisamos!  Prateleiras ou nichos para manter expostos os produtos mais usados, também ajuda na hora do uso, ta?

Uma bandejinha para colocar hidratante, perfume e produtos de pele também é uma solução que dá um charme e facilita a nossa vida. Para os pincéis e lápis de olhos e boca, rímel , curvex, pentes e escovas a minha dica é usar copos (eu utilizo aqueles copos que sobram das velas perfumadas!) para eles ficarem em pé e fácil de pegar e de guardar depois de usar. Os batons podemos deixá-los enfileirados com o fundo para cima, assim podemos ver o nome de cada batom e pegar o que queremos sem bagunçar o resto.

decor1 decor2 decor3 decor5 decor6

Mas quem não tem o closet ou a bancada dos sonhos não precisa se desesperar, tá? Para tudo existe uma solução nessa vida! Quer ver só?

Uma boa idéia para quem não tem muito espaço sobrando são aqueles organizadores ou gavetinhas de acrilico, que além de lindos são super práticos. Eles vem com as divisões para a gente colocar produtos maiores como sombra, pó compacto e blush, e outras divisões menores para batons e rímeis. Sempre salva!

decor7 decor9 decor10 decor11 decor12

Outra solução super barata e fácil para quem não tem muito espaço são aquelas divisórias de talheres que usamos nas gavetas da cozinha! Elas podem fazer milagres na arrumação da sua gaveta, já pensaram nisso? Também podemos adaptar as divisórias usando  aquelas caixas de papel que ganhamos de presente para colocar nossos produtos e manter tudo organizado.

Ainda na sessão das idéias incríveis e super práticas (vocês ainda têm fôlego para acompanhar tantas idéias??), estão aqueles porta sandálias, que você ponde pendurar e aproveitar os “saquinhos de divisão” para colocar suas maquiagens separadas por tipos. Desse jeito fica tudo visível, facilitando – e muito!!! – a nossa vida na hora de se arrumar. Fora que não ocupa quase espaço algum! Top!

decor13

Por fim, a dica mais básica de todas em temos que ter em mente: os produtos que mais usamos têm que estar nos locais mais fáceis de pegar! E se estiverem separados por tipo, melhor ainda! Porque se complicar demais, a chance de você não conseguir manter a organização é bem alta!!! Tenha isso em mente e o seu cantinho sempre terá aquele ar de Madame organizada! ;)

Agora mão na massa! Quero ver essas Madames cada dia mais lindas e peruetes esbanjando charme e organização!

Categoria: Colunistas, Decor