post da Martinha Fonseca

Diário de Madame

i´m not done changing

26 jun 17

Nesses dias paradões de são joão (pelo menos para mim que não fui dançar forró no interior), me peguei acompanhando um polêmica em torno da blogueira Rayza Nicacio, da qual eu ainda não tinha tomado pé até então. Eu não sou  muito de acompanhar o trabalho dela, mas lendo alguns comentários, deu para entender que ela tem sido acusada bastante de “ter mudado” desde que se separou do marido, com várias leitoras reclamando que ela “não é mais a mesma”, que “depois do casamento ela despirocou” e por aí vai.

A mesma dinâmica da crucificação da mudança aconteceu e acontece com Bianca Andrade, a famosa Boca Rosa – essa sim uma blogueira que eu acompanho, curto, dou like, assisto vídeo e tudo mais. Novamente, post sim, post não, uma chuva de comentários maliciosos do tipo “nossa, essa aí não é mais a mesma”, “muito forçada, não sei quem ainda acredita em algo que ela faz”, e etc, etc, etc.

Daí que fiquei alguns bons minutos ou horas, talvez, pensando como o ser humano estranha mesmo a mudança, né? Rechaça o que é diferente, pune quem questiona, quem se questiona e quem experimenta mudar. É como se essa pessoa tentasse, a todo custo, manter a vida sobre o controle daquilo que já se sabe como funciona. E aí, não é de se estranhar que, quem se apega tanto a essa controle do “eu já sei que aqui funciona assim, então é melhor manter tudo desse jeito“, tenha tanto medo, reaja com tanto pavor e ira, até, diante de quem ouse mudar.

Mas veja só, que mania é essa de se achar tão importante a ponto de sua opinião sobre a mudança do outro ter que, necessariamente, ser levada em consideração? Que vaidade é essa que nós temos de nos acharmos traídos, ofendidos de forma pessoal, quando alguém ao nosso redor decide mudar e agir de uma forma diferente do que agiríamos, estivéssemos nós no lugar dessa pessoa?

Não dá para esperar que sejamos iguais o tempo todo. Não dá para esperar que, passando por tantos acontecimentos, ora felizes, ora traumáticos e difíceis, a gente saia dali um produto igualzinho ao que entrou. Tampouco dá para esperar que as pessoas se satisfaçam sempre com as mesmas coisas, que não desejem ter ou ser mais, que não sonhem em experimentar o diferente, e ai fica meio retórico perguntar, mas vamos lá: quem é que vai colher diferentes resultados agindo da mesma maneira?

Mudar faz parte. E até estranhar a mudança de uma pessoa também faz. Mas crucificar, se achar no direito de julgar, opinar e tacar pedras em quem muda, aí já é demais. A quem pensar em mudar, meu desejo de que bons resultados sejam colhidos, que todo o esforço valha à pena, e que, não tendo atingido o objetivo desejado, que algo de bom e importante seja aprendido durante o percurso. A quem está do outro lado da mudança me contato com alguém que você julga “não ser mais o mesmo”, meu desejo que você consiga preencher sua vida de coisas mais importantes, que em vez de gastar tanta energia apontando o dedo para os outros, você descubra em você situações que valham à pena gastar a sua própria energia. Que você exercite o direito de não gostar e se afastar de alguém diante de alguma mudança, mas que não se ache no direito de querer, a todo custo, convencer o outro de o que ele quer fazer da vida dele está errado.

Como já dizia minha mãezinha, “deixa a vida de quelé”.

a-há! olha nóissss de volta aqui no armário de madame! sim, temos sombrios de sumiço por aqui, mas estou de volta. Foi bem legal ter me dedicado ao youtube, conseguido os 20 mil inscritos, mãaaas, nunca antes na história desse blog esse nosso cantinho ficou tão abandonado, e isso não é legal, né?

Então vamos voltar com os diários e os demais posts, que mesmo em tempo de poucos leitores por aqui, esse é um espaço que eu quero manter.

<3

A partir da próxima semana eu volto a fotografar meus looks do dia a dia e posto aqui junto com o diário, ok?

 

 

 

Categoria: Diário de Madame
Comente pelo facebook
8 comentários
  1. Infelizmente, a maioria das mudanças que acontecem na vida são ruins ou trazem situações difíceis e pessoalmente quando temos que mudar geralmente é para amadurecermos ou termos mais responsabilidades e isto assusta e nós deixam com medo destas mudança. Porém tais mudanças são por vezes inevitáveis ou necessárias e o medo fará sempre parte do processo, mas ele é apenas uma etapa que passara, pois a verdade é que a mudança ira acontecer você querendo ou não, então é melhor fazer por bem. Quando a “intromissão” das pessoas nas mudanças de outros a tecnologia e as redes sociais acabaram dando grande intimidade as pessoas que mal se conhecem o que gera a falsa sensação que temos alguma influência na vida do outro o que de certo não é verdade.
    E não deixe o blog morrer, pois adoro ler seus textos.

    Responder
  2. Lilian

    Tinha visto uma polemica dessa com Camila Coelho, e honestamente não entendo o motivo das polêmicas. As pessoas crescem, vivem coisas diferentes e evoluem, é algo natural.. estranho, para mim, seria se continuasse exatamente igual depois de tantas coisas novas

    uhuuul!! Menina, não deixa o blog morrer.. sei que a onde agora é Youtube( e ta certa em investir la tb), mas sou uma eterna #teamblog, é algo reconfortante ler os posts :)

    Responder
  3. Juli

    Tenho o péssimo hábito de raramente / quase nunca comentar mas por favor, não deixa de fazer o diário. Toda segunda passo aqui a procura dele! Bjo grande

    Responder
  4. MONIQUE TORRES

    Otimo texto Marthinha. Serve pra vários aspectos da vida. E inclusive, costume dizer que quando as pessoas nos apontam os dedos dizendo q devemos agir de tal forma é porque falta nelas coragem e atitude pra tal coisa. Estamos em uma época que existe padrão pra tudo, e mudar, agir diferente do que alguns pensam, parece estar errado.

    Responder
  5. MONIQUE TORRES

    Beijos pra vc e vamos torcer por mais respeito e leveza.ate pq ninguém de fato, está na pele do outro, cada um que topamos pode está carregando uma história, fardo, problema…

    Responder
  6. As pessoas adoram mesmo julgar os outros, né? E se essas meninas tiverem realmente mudado, o que nós temos a ver com isso? Engraçado tanta gente cobrar o comportamento de alguém que nem conhece pessoalmente, nem convive. É muito louca essa exigência vinda de pessoas tão distantes de fato. Somente a própria pessoa e quiçá algumas poucas muito próximas e amigas de verdade podem julgar se uma mudança é positiva ou não, creio eu. Concorda?
    Beijos, Martinha!

    Responder
  7. Natalia

    Martinha,

    O diário de madame é a cara do Blog é um dos meu sonhos posta favoritos. Beijos

    Responder
  8. Laura

    Martinhaaa!!

    O Diário de Madame é a coisa mais legal dos últimos tempos de todos os blogs da blogosfera!!!

    Entendo que hoje as redes sociais trazem bem mais visibilidade e frutos (R$) às bloggers, até mesmo pelo acesso maior e mais rápido das pessoas a essas plataformas.

    E, por isso, acredito eu, muitas blogueiras tem deixados os blogs, literalmente às moscas (o que não é o seu caso).

    Mas, cara…o blog é tão mais legal, tão mais interessante em se tratando de mostrar conteúdo (conteúdo, mesmo, de fato rs)!!

    Suas reflexões no Diário são um ótimo exemplo, mas não é só isso…muitas vezes eu pesquiso nos blogs dicas de looks, de como usar certas peças, dicas e resenhas de cosméticos e outros produtos de beleza, dicas de viagens…coisas que em postagens de instagram, facebook, snaps, stories, etc. acabam se perdendo ou até mesmo sendo bem superficiais.

    Os vídeos do youtube são legais mas, confesso, que alguns dão aquela preguiça de assistir rsrs sobretudo quando são muito longos.

    Não tiro o mérito das redes, pois tem seu valor pra nós leitoras e pra vocês bloggers também…mas, por favoooor, faço apelo e campanha: não abandonem os blogs!!!!

    Beijo grande, do Rio Grande do Norte!!!

    Responder
Deixe um comentário
* Não será divulgado
Para usar avatar, cadastre-se com seu email em Gravatar.com