post da Martinha Fonseca

Diário de Madame e o pensamento do dia

para começar a semana com o pé direito!

08 maio 17

Dia desses uma amiga me perguntou como foi que eu consegui, anos atrás, terminar um relacionamento que já não tinha futuro. Ela estava naquela clássica situação de que a gente olha a realidade, admite que está tudo errado, que ele já não está mais tão afim, que os momentos felizes são poucos ou quase nenhum, mas mesmo assim a gente vai lá, insiste, e ao contrário do que foi pensado e planejado, continua o namoro, o rolo ou a ficada.

A verdade é que a gente tende a achar que a vida vai enviar um sinal irrefutável de que chegou a hora do “basta”, que um dia você vai sentir aquilo tão forte dentro de você que o término não significará nada além de alívio.  O medo da dor de um rompimento é tão grande, que a gente passa não só a desejar, mas a acreditar que será possível terminar e fica bem de imediato. Que não vai ter dúvida, que de repente você saberá o que é bom para você e isso bastará, que você será tão absoluta e plena na decisão que será fácil tomá-la.

Mas aí, diante da indagação da minha amiga, talvez eu tenha dado a resposta que ela tanto temia ouvir: “fórmula mágica e passo a passo de como terminar sem sofrer não existem. Eu sei, seria mais legal se tivesse, mas não tem, não”.

O que podemos ter no entanto é coragem. Coragem de admitir que não está dando certo, que o que você deseja que aconteça não é o que necessariamente vai acontecer (ou que tem acontecido); coragem de admitir que você está dando murro em ponta de faca e sendo meio Poliana demais, sonhando que um dia, do nada, tudo vai ser diferente. Mas não tem sido, né? Sua vontade de que aquele menino seja quem você gostaria de ter ao seu lado a vida toda (ou pelo menos a semana toda) é tão grande que você projeta nele e no vínculo entre vocês algo irreal, que não existe mais ou que nunca existiu. O bom dia que ele te manda de manhã, quem sabe, é apenas um bom dia mesmo, sem nenhum significado especial de “é o jeito dele de dizer que me ama“. Se ele te chama para sair, e a saída é até legal, vocês se divertem e tal, mas no dia seguinte ele some, quem sabe esse comportamento não tem mesmo nenhum motivo oculto, incompreensível ou estranho. É apenas ele te dizendo que é ok sair com você, divertido até; mas só isso mesmo. Sem planos, sem namoro, sem algo sério.

Coragem, madame, coragem.

Perceber a realidade como ela é, reconhecer que não tem mais suco para sair dessa laranja não é sinônimo de derrota – não é culpa sua. O amor é feito mesmo de desencontros, términos e decepções às vezes. Não é só com você que isso acontece, não é só uma vez que isso vai acontecer. E não é que não vai doer. Terminar dói sim, parar de ficar quando a gente queria tanto que desse certo machuca, sim. Deixa a gente triste, sim. É um luto, sim! – e aí, como todo luto, merece ser vivido, compreendido e elaborado para que, com o passar dos dias, a ferida cicatrize e você se sinta pronta para outra. Sem traumas, sem assuntos inacabados, sem sonhos irreais e com muito, muito aprendizado.

 

diario1

  1. Look para um evento: blusa Renner, colar Juliana Manzini para Trajano e Sophia, saia Kallayne, Bota Schutz e Bolsa Arezzo
  2. Gravação do programa Chegue Mais: blusa militar Dafiti, blusa listrada não lembro, saia Dress To, Bota Schutz, bolsa Prada
  3. dia a dia: blusa jeans Dafiti, calça OH Boy, bolsa arezzo
  4. dia a dia: blusa não sei, saia fru fru store, cardigan zara, bolsa arezzo, mule schutz
  5. evento riachuelo: blusa riachuelo, saia Artsy, tenis melissa, bolsa prada
  6. sábado de manhã: vestido bob store, blusa jeans dafiti, bolsa prada, tênis arezzo

 

:*

boa semana para gente!

Categoria: Comportamento, Diário de Madame