post da Martinha Fonseca

Diário de Madame

Levar a vida no automático, colocar a culpa de tudo nos outros e esquecer de ser autora da própria vida. Vale à pena viver assim?

06 jul 15

“Ah, ela não consegue se entregar a nenhum relacionamento porque sofreu muito com a separação dos pais quando era criança”.

“O problema é o exemplo do pai  (ou mãe) que ela têm em casa”.

“Ela é filha única, a mãe criou cheio de vontades”.

“Ela vive em um relacionamento doentio porque sofreu muito com a ausência do pai na infância”.

Ouço esse tipo de afirmação com tanta frequência – e eu mesma falo algumas delas também – que me pergunto quando é que a gente vai parar de justificar os nossos erros colocando a culpa nos outros. Tá, a gente não precisa ir muito longe para saber que as experiência pelas quais a gente passa na vida nos moldam e moldam a nossa visão de mundo, e que por muito tempo a gente vive meio que em modo automático: o que meus pais ensinam são 100% verdade e o que eu vivo em casa é o que define o que é certo e o errado no mundo.

Tudo bem viver assim por um tempo. É normal. Mas é que chega uma hora – e aí pode ser aos 12 anos, aos 18, aos 25 ou 40! – que você começa a raciocinar por conta própria, ter e viver suas próprias experiências, e tirar suas próprias conclusões sobre o mundo, sobre você e sobre as pessoas à sua volta – inclusive para chegar à conclusão que nesse ou naquele assunto específico você e seus pais pensam diferente.

O que quero dizer é que a gente não pode sair por aí vivendo a vida pra sempre no automático, reproduzindo padrões ou sem se questionar o que nos motiva a fazer isso ou aquilo. Quer dizer, poder poder. Mas será que vale à pena? Será que sua vida não pode ser mais que isso?

Porque quando a gente entra nessa de só justificar o que faz – ou deixa de fazer – a culpa nunca é nossa e a gente passa o controle da nossa vida para outra pessoa (e vamos combinar, que dar esse peso para alguém não é necessariamente algo muito justo nem com a gente nem com os outros). E perceba que, passar o controle da sua vida a alguém, ao contrário do que a gente tende a imaginar, não elimina o sofrimento. A gente continua convivendo com as consequências das nossas escolhas e atos, sofre porque foram más escolhas e, quer saber? Sofre de novo porque não consegue resolver, afinal, a culpa é do outro e na maioria das vezes o outro, que nem sabe que tem esse controle todo sobre você, está cagando pros seus problemas e pra resolução deles. Você fica, então, com dois pepinos na mão e uma vida que vai passando na sua frente sem você ter nenhum prazer e orgulho do que vê, faz ou fez.

“A minha vida é minha” é uma frase que todo mundo deveria ser proibido de esquecer por meio segundo que fosse. Talvez isso ajudasse a perceber o tanto que é importante ser autora da própria vida, agente das próprias mudanças e conhecedor das próprias fraquezas e forças. Se conhecer é um processo difícil, sabe? É dolorido, às vezes te dá vergonha de reconhecer que você age assim ou assado por conta de uma motivação tão boba e ao mesmo tempo tão poderosa sobre você. Mas você só vai agir diferente quando mudar os estímulos, e para saber o que precisa mudar, você precisa conhecer, timtim por timtim, do que acontece com você, né?

Se permita esse caminho,  reconheça a influência dos outros e de experiências prévias sobre você, mas não se apegue a isso como justificativa para seguir o caminho mais fácil:  ser Gabriela Cravo e Canela e bancar o “eu nasci assim” não vai te levar muito longe, não.

—-

hihihih, espero que gostem do textinho do Diário de Madame hoje, madames. Fiquei pensando no assunto durante a semana toda, e ficou inevitável não compartilhar isso com vocês. Quero saber o que pensam, se concordam, se já viveram ou vivem algo do tipo…vamos conversar tá? <3

Ah! E vamos começar sobre minha semana também, hihih! Abaixo, os highlights:

diario-1

O retorno ao #SaúdeDeMadame segue entrando no ritmo. No fim de semana dei uma derrapada aqui ou acolá, mas nada como uma nova semana para tentar não reproduzir os mesmos erros, certo? E eu prefiro focar nos avanços, afinal manter a corridinha à noite e apertar o ritmo no crossfit é bom demais! Requer esforço e força de vontade mas dá orgulhinho também sabe?

Vamos seguir em frente, então, que faltam 15 dias pro casamento de uma amigona, e eu preciso ser uma madrinha bonita, né? hihih x) Vamos nessa!
diario-2

Os looks da semana foram basicamente esses três:

1. Para ir ao banco: Casaquinho Riachuelo, blusa C&A, Calça Zara, Oxford C&a, Bolsa Schutz
2. Aniversário de 91 anos de vovó: Blusa Dress’D, Saia Espaço Fashion para Dafiti, Sandália Schutz, Bolsa Arezzo
3. Jantar sexta à noite: Blusa, Bota, Colar e Blazer Forever XXI, Saia Boah, Bolsa Prada.

Meu preferido? Os três! hahaha Não consigo decidir se amo o primeiro pelo toque boyish, o segundo porque ser um basiquinho tão lindo ou o terceiro pela misturinha que deu certo.

diario-3

Teve também essa semana gravação de video, uhu! Finalmente coloquei no ar o video com a tag 50 Fatos Sobre Mim, que vocês tanto me pediam! Adoro quando consigo fazer algo assim, tirar uma pendência das costas, sabe? e de quebra agradar vocês com um conteúdo que era tão pedido! bom demais!

Amanhã entra no ar um Maquia e Fala, tá? E tô planejando também um tag com Sam, que ele tá de férias e eu preciso dar ocupação a essa menino! kkkkk mas se tiverem mais idéias, se joguem aí nos comentários e me ajudem. Tá na minha listinha também gravar um video sobre as bases que tenho, e já me sugeriram um sobre viagens, mas será que tem uma tag específica sobre isso? Alguém sabe?

Espero que tenham gostado do Diário de Madame de hoje!!! Comentem muito!

 

 

Categoria: Diário de Madame
Comente pelo facebook
18 comentários
  1. Ótima reflexão. Às vezes me pego pensando nisso também…

    Responder
  2. gabriela

    Matinha, eu sempre me policio pra lutar contra esse tipo de determinismo. É muito fácil depositar a conta das nossas fraquezas no que aconteceu conosco no passado. Nada disso! Temos que lutar todos os dias para sermos melhores e mais fortes que isso. Se pararmos pra pensar, as grandes mentes que conhecemos viveram difíceis complexos internos e mesmo assim fizeram história.
    Problemas e traumas todos nós temos, mas precisamos focar no que podemos fazer daqui pra frente e sempre lembrar que a maior disputa que vivemos diariamente não é com o colega ao lado, mas conosco mesmo. O grande vitorioso é aquele que vence a si mesmo.

    Obrigada pelo texto maravilhoso! Vc tem um lado psicoterapeuta bem desenvolvido e suas leitoras só tem a ganhar com isso :)

    Beijos

    Responder
    • justamente. a gente não pode controlar o que acontece com a gente. o que a gente pode é determinar o que a gente faz diante das coisas que nos acontecem. pensar e agir assim faz toda diferença!

      Responder
  3. Titi

    Martinha,
    Excelente reflexão pra gente começar a semana a todo vapor!
    Nosso caminho é trilhado por nós!
    Mais atitude e menos “mimimi”!
    Sou madame e sou retada! Rsrsrs!
    Ai que dúvida sobre os looks mas a mixturinha me mata! Vou com o número 3! :D
    Bjinhos e estou de volta!
    Tava num período mega-busy no trabalho mas acho que estou mais aliviada agora! Bjinhos!

    Responder
  4. Fernanda

    Martinha, tem uma tag que a Lu do Chata de Galocha fez com irmã que é muito legal! Não me lembro do nome, mas é feita de forma que uma tem que adivinhar a frase enquanto escuta a música no volume bem alto!! Assiste lá, acho que seria bem divertido pra você fazer com Sam!!
    Beijos

    Responder
  5. Titi

    Adorei a sugestão da Madame Fernanda!
    Seria moitooo divertido!
    Jimmy Fallon faz muito isso no programa dele!
    No Youtube vc acha videos!!! :***

    Responder
  6. Luiza

    Escreveu pensando em mim, Martinha? Kkkkkkkk
    Brincadeiras a parte, madame, esse texto tem td a ver com meu momento atual e bateu como uma msg divina de que meus pensamentos dos últimos dias estão certos!

    Mais uma vez, parabéns pelo texto!
    Bjs!

    Responder
    • hahahah sintonia de madame!!
      e que bom que esse texto fez sentido para você! fico feliz à beça!
      beijos!!

      Responder
  7. Bianca

    Martinha, tem a tag viagem ou viagens inesquecíveis – não lembro o nome certinho – mas GFlores e Niina Secrets já responderam!

    Responder
  8. Kadja

    Amei a reflexão, Martinha!
    No canal da Lu do chata de galocha tem várias tags que ela grava com a irmã, você poderia ver algumas pra gravar com o Sam! Ia ser legal rsrs
    Beijo!!

    Responder
  9. Mayne

    Amei!

    Uma dúvida.. O que você ouve pra correr? kkkkk Eu tenho uma relação de ódio com a esteira e preciso de músicas estimulantes para correr, já cansei da minha playlist. Seria legal você compartilhar sua playlist #saudedemadame ;)

    Responder
Deixe um comentário
* Não será divulgado
Para usar avatar, cadastre-se com seu email em Gravatar.com