post da Martinha Fonseca

Mulheres: Por que a gente se critica tanto?

Mais uma campanha de Dove sobre essa mania de as mulheres serem tão exigentes e cruéis elas mesmas

21 mar 15

Eu tinha preparado outro post para entrar no hoje no blog. Mas passeando pela internet vi esse video/campanha da Dove e quis trazer esse assunto para cá. Acho importante, sabe? Ando cada vez mais me indignando com machismos e preconceitos que as mulheres sofrem, e até com rótulos ou caminhos pré-determinados por outros que a gente se sente obrigada a seguir. Quem falou que mulheres precisam ser inimigas entre si? Quem falou que a gente tem que ter o corpo perfeito? Quem disse que mulheres não podem exercer papel de chefia? Ou quem disse que mulher do século XXI não pode decidir ser dona de casa de feliz? Hein? Quem disse tudo isso?

Essa campanha de Dove, em apenas 2min20s, me tocou muito. Porque às vezes a crueldade, se não começa na gente, se perpetua nessa relação cruel que estabelecemos com nós mesmas. Faça um teste com você: quando você vai tomar banho, entra no banheiro e tira a roupa. Você fixa seu olhar nas partes do seu corpo que você ama mais ou fica reparando no que poderia melhorar?

Cruel, né?

Daí que Dove pegou essas críticas que mulheres fazem a si mesmas, e colocou atrizes para encenar, em diálogos cruéis, porém não pouco reais, sobre como a gente se maltrata. As mulheres, então, ficaram indignadas ao presenciar a cena; perturbadas com tamanha crueldade na conversa alheia. Mas aí, a pergunta final é: se é tão cruel falar isso para outra pessoa, porque falamos para nós mesmas?

Nesse sábado, aproveite esse post, e se permita (e se dê de presente) um elogio, um pensamento positivo sobre você.

Que tal?

 

 

Categoria: Saúde
Comente pelo facebook
8 comentários
  1. Rafa

    Verdade, Martinha! Temos que nos amar e brilhar independentemente de qualquer coisa! A felicidade é algo peculiar e que só irradia se nós fizermos isso. Beijos!!

    Responder
  2. Morgana Neves

    Legal este seu texto. São atitudes assim que fazem toda a diferença! É perceptível como seu blog cresceu profissionalmente, não só pela sua dedicação e seriedade, mas, porque você não cai no senso comum das maioria dos blogs de falar somente de temas como beleza, cosméticos, cabelos, etc. Acho interessante quando você compartilha intimidades suas como o diário de madame ou posts mais pessoais como gostos musicais, trilhas sonoras e afins, isso te traz mais para perto das suas leitoras, elas acabam se identificando com isso. Veem que você é “real” que sente, chora, ri, que fica ansiosa, fica feliz, triste…
    Mais uma vez parabéns pelo seu blog!
    Um abraço!

    Responder
    • a graça é essa né? de pessoas perfeitas já basta os globais, artistas de hollywood que são tão distantes da nossa realidade que tão essa impressão de perfeição que, na verdade, não existe em lugar nenhum.
      bom te ver por aqui, morgana! obrigada pelas visitas e comentários, viu???
      beijos!!

      Responder
  3. Livia

    Pior que somos exatamente assim: malucas e complicadas! Rs
    Na próxima encarnação quero ser homem!!! RsRs
    Adorei Martinha, ótima reflexao!
    Beijo

    Responder
    • hahaha entendi seu bom humor. mas enquanto a próxima encarnação não vem, a gente podia tentar mudar as coisas agora né? a gente não precisa ser maluca e complicada. a gente pode mudar as coisas que nos incomodam, aprender a reagir diferentes às coisas da vida e sermos que a gente quer ser.
      não acha?
      beijocas!

      Responder
  4. Aline Amaral

    Gosto muito desses momentos reflexivos aqui no blog, faz ainda mais sentido este espaço que temos por aqui. Somos muito duras com nós mesmas. Vou te contar um episódio que aconteceu comigo ontem (21/3). Às vezes tenho vontade de escrever e-mails para você contando essas coisas, porque né, conto sempre um jornal. Mas aí tá, ontem eu estava na aula de francês e era prova. Estou fazendo um outro curso que me fica muito difícil para estudar direito para as provas e fazer as atividades. Na hora da prova oral quase morri (desapontada ou de raiva, nem eu mesma sei) e não fui bem como gostaria. Por fim, fui a última a sair da sala até que o professor, que percebeu minha reação, falou: “Aline, não se exija tanto! Esse é um conhecimento cíclico e que você pode conseguir a qualquer hora. Você fez escolhas, escolha muito melhor que o francês, inclusive, pois é seu sucesso profissional.” O que dizer sobre isso, não é verdade?! Gostaria que madames como eu lessem isto que escrevo é sempre se lembrem, não se maltratem tanto! Eu sou uma pessoa que vira e mexe faz isso e não recomendo a ninguém, sofro, choro e passo mal com isso! Devemos ser felizes com tantas coisas que podemos conquistar no mundo!!!!!!
    Vou finalizando por aqui porque eu adoro escrever, e o comentário não acaba! Beijos.
    P.S.: Desculpe se ficou filosófico ou meloso demais, mas nunca leio o que eu escrevo por completo, senão nunca postaria nada! É tudo o que vem na linha cabeça na hora!

    Responder
    • eu não chego a sofrer tanto assim em me cobrar. eu sofro mais com a insegurança sabe? mas tenho amigas que sofrem fisicamente por tanto que se cobram, tipo como você relatou. mas que bom que você está enxergando isso em você, é o primeiro passo pra gente conseguir mudar as coisas que não nos agradam na gente né?
      amo seus comentários, aline!! é tão gostoso, porque aí eu conheço mais um pouco das leitoras e não me faz me sentir sozinha, como se eu não estivesse falando para ninguém. pelo contrário, as madames leitoras existem e são lindas, com dilemas e depoimentos que me inspiram também!beijocas!

      Responder
Deixe um comentário
* Não será divulgado
Para usar avatar, cadastre-se com seu email em Gravatar.com