post da Martinha Fonseca

Mulheres, cabelos e uma relação que só a gente entende

é ou não é?

12 mar 15

Um das coisas que mais me encantam no mundo feminino é a relação que construímos com os nossos cabelos. Confesso que acho bem sem graça aquela obrigação masculina de ir no salão a cada 15 ou 20 dias apenas para manter o cabelo no lugar. É apenas um “tá grande, hora de cortar”. Nada mais. Sem drama, sem estilo, sem glamour, sem graça. Como pode, né?

Um corte de cabelo nunca é apenas um corte de cabelo para uma mulher. E a ida ao salão (ou aquele momento pessoal e íntimo com a tesoura em casa, para quem é corajosa e corta as próprias madeixas) é um ritual. É importante, é um divisor de águas – tudo pode melhorar dali para frente, tudo pode piorar dali em diante. A gente sabe, como um código feminino acessível somente por nós, que muito se diz sobre uma mulher a partir do seu corte, penteado, cor, estilo de cabelo. Isso não é maravilhoso?

Certa vez eu estava indo de mal a pior num relacionamento antigo. Olho para trás e acho curioso como transformei em realidade, com vontade e consciência, o mito do “vou mudar o cabelo para mudar a vida”. Há quem faça o contrário, claro: mude a vida primeiro para na sequência mudar o cabelo. Eu, por outro lado, fiz o contrário. Pintei o cabelo pela primeira vez e quer saber, me senti o máximo depois daquilo. Era a minha forma de ir contando para mim mesma que seria capaz de fazer diferente, de agir diferente, de ser diferente. Com o cabelo mudado, a auto estima havia mudado e uma nova Marta havia nascido.

Lembro também da experiência que vivi em casa, durante o câncer de minha mãe, e como a perda do cabelo foi devastador para ela e para mim também. E, depois disso, lembro como foi revigorante descobrirmos que existia vida após o trauma; e  como foi ainda mais incrível acompanhar com ela, novamente os cabelos crescerem.  <3

É mesmo especial ser mulher, é mesmo especial sermos tão ligadas ao nosso cabelo. Joãozinho, super longo, tingindo, cacheado, crespo, liso, com babyliss… podemos ser nós mesmas e várias pessoas como num passe de mágica. Podemos ser ora a dramática que chora porque 2cm de pontas foram embora, ora a corajosa que muda a cor ou passa a tesoura, assim, do nada. 5 minutos a mais no banho, e não só o cabelo sai renovado depois daquela ampola incrível e poderosa (alô, Pantene!), mas a alma toda sai diferente. Um novo shampoo na prateleira da farmácia e tcharam!, a vida se enche de novas possibilidades.

Na semana em que comemoramos o Dia Internacional da Mulher, se dê de presente o cuidado com você mesma – o mundo aí fora está cheio de dificuldades para serem combatidas, obstáculos para serem superados, preconceitos para serem desfeitos, que parar só um pouquinho, que seja, para fortalecer a nossa relação com nós mesmas vale muito, muito mesmo.

<3

A Pantene, que está sempre ligada e pesquisando novidades para deixar nossos cabelos mais bonitos e saudáveis – e consequentemente, nossa relação com nós mesmas mais positiva – me convidou para escrever sobre minha relação com meu cabelo. Espero que vocês gostem, madames, e me contem também como anda a história de vocês com as suas madeixas.  Que tal?

corte-de-cabelo-mulheres

Só para descontrair, ilustro o post com essa montagem de 4 diferentes momentos do meu cabelo: 1. médio, quase longo; 2. Super, super longo!; 3. Curtinho, quase no queixo; 4. Atualmente, mais crescidinho. <3

 

beijos! :*

 

Categoria: Beleza