post da Martinha Fonseca

Livro de Madame: A lista de Brett

por Lori Nelson Spielman

26 dez 14

Hey, there!! Um pequeno sumiço durante os dias de Natal (sorry, foi muita comilança, compras de última hora e muitas casas para visitar em apenas dois dias!), mas estou de volta! Yey!!! E será que dá tempo de desejar um Feliz Natal atrasado??? Espero de verdade que vocês tenham aproveitado esse momento mágico e lindo do ano em família, dado muita risada, trocado muitos abraços e beijinhos, e carinho sem ter fim. <3

Por aqui, volto com as atividades de final de ano, e como eu sei que agora boa parte das madames está desacelerando, que tal colocar a leitura em dia? Esse livro eu terminei há um tempo já, mas fiquei enrolando de postar aqui, sabe-se lá porquê. O lado bom é que livro nunca tem prazo de validade, não é? Então cá estou eu para falar minhas impressões de “A Lista de Brett”. Quem aí já leu também?

brett

Não lembro exatamente onde foi que ouvir falar do livro, mas achei a descrição bacana, a capa linda e acabei levando para casa. Segundo a própria sinopse do livro, a história é a seguinte:

“Brett Bohlinger parece ter tudo na vida – um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente.
Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe. Seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis. Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência“.

Confesso que no início, minha primeira impressão foi  pensar “ah, que historinha mais fantasiosa e forçada. Como assim a mãe dela sabe de tudo que ela faria, quando desistiria, em que erraria e como acertaria realizar todos os itens da lista?“. Porque o que acontece na história é o seguinte: toda vez que Brett conseguia realizar um item da lista de sonhos, o advogado da família entregava a ela uma carta escrita por sua mãe, antes de morrer. Nessas cartas, a mãe dizia coisas como “eu sabia que você não iria desistir” ou então falava coisas ainda mais específicas como “você está chateada por ter fracassado? Bobagem”. E aí eu pensava, como assim a mãe pediu para Brett fazer algo e já sabia que ela, apesar de se empenhar de verdade, não conseguiria fazer?”. Que migué, pensei.

Só que aí, umas páginas depois do meu momento rabugento, eu lembrei da minha própria história: quantas vezes eu me questionei sobre o que minha mãe diria para mim sobre os meus dilemas de vida? Quando eu pedisse colo, que conselho ela me daria? Que atitudes eu teria hoje que a deixariam orgulhosa de mim? Sinceramente, não consigo nem contar quantas vezes eu desejei saber o que ela pensaria hoje sobre mim, sobre minhas escolhas, sobre minha história se minha mãe por aqui ainda estivesse. E aí, quando me dei conta disso, me senti tão próxima, tão conectada, tão igual a Brett que embarcar na história foi fácil. Os conselhos e a sabedoria da mãe dela, de repente, eram os conselhos e a sabedoria da minha mãe. E aquele momento de Brett irritada com a história de sua mãe pedir coisas “impossíveis” para você, era o meu também: como filhas a gente às vezes se esquece como nossas mães são geniais!

“A história me pegou de jeito”, me dei conta. E aí, depois disso, devorei o livro rapidamente e aquele aperto no coração com o fim da história, que indica que a leitura valeu à pena, se fez presente.

Quem estiver procurando uma boa leitura para encerrar 2014 e começar 2015 com o coração cheio de amor, eis uma ótima opção.

Categoria: Livros