post da Martinha Fonseca

Para que serve Look do Dia?

30 out 12

O lado bom de blogs de moda terem virado moda (com o perdão da repetição…), é que cada vez mais pessoas falam, entendem e usam a moda de forma bacana e positiva. As revistas de moda continuam tendo sua importância de filtrar o que vai ser ou não tendência, mas é inegável que são os blogs que assumiram o papel de traduzir o que já foi traduzido, e explicar ainda mais detalhadamente o que é tendência e como usar essa ou aquela informação de moda.

O lado ruim da proliferação de blogs, no entanto, é que, em muitos casos, a essência, o propósito sincero, a filosofia vão embora. E aí ficam apenas o consumismo, o exibicionismo e a vontade de ser conhecida como a blogueira x, ganhar viagens de graça como a blogueira y, e ganhar dinheiro igual a blogueira w. Vai embora a essência, fica apenas o oportunismo.

Comecei o post de hoje tocando nesse assunto que há muito gira na minha cabeça. Vejo um número crescente de pessoas falando “não aguento mais blogs”, “mais um blog de look do dia? aff!” e fico querendo entender o porquê desse movimento de repulsão aos blogs, de uma forma geral, e aos looks do dia, de uma forma mais específica.

Fico pensando: será que o problema está no fazer no look do dia ou na intenção escusa que motiva esse tipo de post? Estou inclinada a concordar com a segunda parte da pergunta.

Não nego a possibilidade justa e sincera de fazer de um blog o seu trabalho e sustento – eu mesma faço parte desse grupo, e batalho todo dia para fazer isto de forma digna. Mas é inegável que a realidade de umas, de possuir um blog com capacidade monetária, gera em outras o sonho de que isso é possível para qualquer um; ou melhor, que isso é possível de qualquer jeito e que, assim, basta uma carinha bonita, uma câmera boa, mamãe e papai fazendo divulgação entre os amigos da sociedade e bam! você é alçada a posição de a nova “Lala Rudge” da sua cidade.

Um blog se move pela identificação das leitoras com a pessoa que escreve – e quando eu digo pessoa, me refiro à personalidade dela, o jeito de falar, escrever, se posicionar na vida, de se vestir. E pensando desse jeito, fica fácil entender, por fim, porque existe esse movimento de saturação e “encheção de saco” com os blogs e os seus amados/odiados looks do dia.

Da forma como eu entendo as coisas, os posts de looks do dia vieram para inspirar quem está do outro lado da tela a se vestir de forma bacana; a ver que é possível fazer diferentes looks com a mesma blusa branca; que é possível trabalhar no escritório e ir bem arrumada; que é possível ser feliz com seu próprio corpo. Mas aí, há quem use esse espaço tão digno (é que não consigo achar banal o fato de que tantas madames encaixam em sua rotina corrida um horário para passar aqui; fico feliz e envaidecida, de uma forma bacana, com tudo isso)  e pense só em construir um discurso de cima para baixo, algo como “olha como eu sou diva”; quando na verdade, ao invés de discurso do “sou bem vestida”, a idéia era para ser o diálogo do “é assim que eu me expresso, e você?”

E eu acho que é por essa subversão de intenções que tenho visto pessoas com o pé atrás com blogs de moda. Não é questão de o look do dia ser pago ou não ser pago; mesmo para fazer publicidade de uma loja é possível imprimir o seu gosto, o seu olhar, o seu estilo; é possível transmitir uma proposta de look não uma imposição do que é bonito. Tudo é questão de mostrar o que se quer  de verdade e fazer com que as pessoas, do outro lado, entendam isso.

Concordam, madames? Ou não?

Categoria: Sem categoria