post da Martinha Fonseca

Usar, consertar ou doar?

23 fev 12

Dias desses – acho até que foi antes do carnaval – uma madame-leitora pediu dicas, pela página do blog no Facebook, de como manter o armário organizado. Curioso que esse é um dos assuntos que mais vocês comentam quando mandam emails ou pedidos de posts. Acredito que isso seja porque pouquíssimas de nós podemos nos dar ao luxo de ter um closet do tamanho de um quarto, certo?

Na minha opinião, no entanto, mais do que pensar se é melhor separar as roupas por cor ou por modelo, se as saias devem ficar penduradas ou dobradas na gaveta, ou qual a melhor forma de arrumar os sapatos….mais importante do que tudo isso é ter certeza de que tudo que se tem ali são de fato peças que você pode, quer e – mais importante – VAI usar.

Um dos passos da consultoria de moda é dar uma olhadinha no armário da cliente e olhar o que tem por lá, separando as peças em 3 categorias: o que você realmente usa, o que precisa de um ajuste/conserto para que você possa voltar a usar, e o que você sinceramente sabe que não usa (apesar de ter um apego emocional pela peça, é hora de passá-la adiante).

Parece bobo pensar que dividir suas roupas assim pode fazer diferença na sua vida. Mas, convenhamos, a maioria das pessoas que têm um armário abarrotado de roupa reclama que nunca tem o que vestir – e isso acontece por, comumente, essas mesmas pessoas mal saberem o que tem ali dentro. E como é possível ter algo para vestir se não se sabe nem quais são as opções disponíveis?

Parar alguns minutinhos no fim de semana e se permitir, com SINCERIDADE, analisar as roupas no seu armário é mais do que uma etapa boba de consultoria de moda. É uma bem que você faz  você mesma. Um armário bem organizado no sentido de estar preenchido por as peças que realmente te servem e que você tem prazer em usar, vão te poupar preciosos minutos pela manhã antes de ir para o trabalho ou de encontrar com o namorado (que normalmente se chateia por te esperar 20min em frente ao seu prédio, dentro do carro).

Se desprender das roupas que você não usa mesmo tendo um amor inexplicável por elas (tipo a calça que você usava quando pesava 10kg a menos, a blusa que usou quando conheceu seu namorado ou o short que usava quando soube que passou no vestibular), ainda vai te ajudar a abrir espaço para novas aquisições que valerão à pena, já que quando a gente percebe o que não cai bem na gente, focamos mais facilmente no que trabalha a nosso favor nas próximas compras.

Sem contar que tirando os excessos dos cabides, as outras roupas que ainda servem, que ainda usamos e que ainda PODEMOS usar aparecem mais facilmente e aí temos aquele mágico momento em frente ao guardarroupa: nossa, nem lembrava que essa blusa vestia tão bem!”.

Delícia aproveitar o que o passado deixou de bom pra gente e abrir espaço para o novo que vale à pena chegar.

Concordam?

Categoria: Sem categoria