post da Martinha Fonseca

Máscaras de Carnaval

28 fev 11

Eu não sou muito fã de carnaval – sendo sincera, nunca passei o carnaval aqui em Salvador e, esse ano, que vou para o Rio, vou muito mais pela companhia dos amigos do que pela Sapucaí. Anyways, mesmo sem curtir a festa eu si, eu bem que curto ver as coleções novas que as lojas lançam para essa época do ano. Fico observando como cada um reinventa essa moda que é, necessariamente, colorida e festiva e como as lojas fazem para se diferenciar desse mundão de coleções de carnaval que aparecem por aí.

Esses dias, aliás, tive acesso à coleção de carnaval da Fabrizio Giannone. Chegou essa sacolinha aqui em casa e, nur, fiquei sonhando com os colares da marca.

Entre outras peças, a coleção da carnaval da Fabrizio Giannone vem com 2 colares de máscaras típicas de carnaval. Achei tudo tão lindo, tão luxo…tão madame!… que tive que compartilhar com vocês.

A primeira foto é dos colares “máscara Veneza“, que custam R$ 263 cada. Na foto seguinte, a “máscara Arlequim que está à venda por R$199 e que é o meu colar preferido. Por hora, tudo que vou fazer é acender umas velinhas para nossa senhora do visa porque, né, eu quero tudo!

Ah sim, para mim, na sacolinha, veio esse colar lindo. Os sortudos que forem pular o carnaval no concorrido camarote de Marta Góes vão receber um mimo da marca também (mas, olha, eu não sei se será esse mesmo colar, tá?apenas recebi a informação da assessoria da marca).

Bem, aqui em Salvador tem Fabrizio Giannone no 2º piso do Salvador Shopping. Quem gostou, dá um pulinho lá!

Categoria: Sem categoria
post da Martinha Fonseca

Look da Semana! – Casamento do papai!

27 fev 11

Hey, madames!!

O post hoje é super esperado, heein?? Eu mesma estou com friozinho na barriga ao fazer esse post! Quero ver os comentários de vocês! hihihih


Olha, antes de mais nada, deixa eu dizer que participar do casamento do meu próprio pai tem todo um gostinho especial. Vê-lo com uma felicidade tão plena (e saber que todos que estavam presentes partilhavam na mesma alegria…) foi uma das coisas mais lindas da minha vida! :)))

E é claro que para um dia tão feliz, a madame aqui precisava estar com um look a altura, não é? Então lá fui eu com a foto do penteado escolhido com a ajuda de vocês para o salão. Eram milhões de noivas (com suas respectivas madrinhas, claro) lá na Mason Barber Beauty. Foi divertido. Fofoquei Conversei com todas e, entre um papinho e outro, claro que o assunto era “o penteado”. E aí o destino me pregou uma peça…. de tanto conversar sobre penteados, de tanto mostrar meu penteado para madrinhas e noivaskuen, kuen…minha bateria acabou e eu não mostrei o penteado pra cabeleireira!

Acreditam nisso? Eu levei tudo com bom humor, claro; expliquei o que eu queria e confiei na super habilidade da Consuelo que é um amor e uma super profissional!

Resultado?? Ela deixou o penteado trancinhas  + coque meio-baixo ainda mais lindo!!

Gente, me apaixonei pelo penteado! Faltou coragem no fim da festa de desmanchar o bichinho….eu estava super madame com ele!! hihihih


Mas vamos deixar de falatório e vamos às fotos, não é??

*** que ver melhor? clica na montagem que ela amplia!! ***

Me senti super organizada dessa vez! Na agonia da minha própria festa de formatura, não consegui tirar fotos assim para postar aqui…mas no casamento “dos outros” a gente fica mais tranquila e se organiza melhor, não é? E, assim sendo, teve fotos do look completo, do make, da clutch e do penteado, claro!!

vestido – Carlos Miele
clutch – Donna
anéis e brinco – Vivara
Bem, a sandália que eu estava usando eu até fotografei, mas não sei lidar muito bem com a feiura do meu pé, então não vai rolar fotinha. Anywayssss, foi da Emporio Naka.
Para finalizar, algumas fotinhas feitas em tempo real e tuitadas por mim e pelo boy – sim, porque eu e ele somos dois viciados em twitter e nem no casamento do pai/sogro a gente liberou!! 
Obviamente as fotos ficaram com a qualidade ruim..em ambiente fechado e à noite, nem a câmera do iphone dá jeito..
Primeiro, eu entrando como madrinha com meu irmão…
Depois, eu entrando novamente, acompanhada do filho de Deise (a noiva), Leo, para levar as alianças para o casal. Nessa hora, meu pai não sabia da surpresinha…ficou todo emocionado! hihi Eu levando a aliança para Deise…e Leo, para meu pai. Lindo, néam?

Os bonequinhos do bolos exemplificando a música que meu pai aprendeu recentemente e que, diz ele, é o resumo da relação dele com Deise: “vou não, posso não, quero não, minha mulher não deixa não…” 
E, por fim, a pior foto, em qualidade, mas que não poderia faltar. Eu peguei o buquê e acho bom Felipe começar a repensar esse negócio de casar comigo “a partir de 2016″.  É ou não é, madames??

Published with Blogger-droid v1.6.7
Categoria: Sem categoria
post da Martinha Fonseca

"Não, eu não quero fazer o cartão"

25 fev 11
Madames!
O post dessa sexta é um pouco diferente do que vocês estão acostumadas a ver. É que estou com uma “ponderação” que queria compartilhar com vocês sobre as lojas fast fashion. Vamos lá??
****
As lojas de departamento resolveram mudar a “filosofia de trabalho”, investir em roupas de design e de qualidade melhores e, assim, entrar na categoria “lojas de fast fashion”. Isso não é novidade para ninguém, certo? A pergunta que não quer calar sobre isso, então, é a seguinte:

De que adianta investir milhões em marketing, fazer parceria com estilistas famosos, melhorar o nível das coleções, ser rápido no gatilho na hora de reproduzir as tendências das passarelas, focar em um público com um poder aquisitivo um pouco melhor, se a lógica de trabalho dos funcionários da loja ainda é do tempo em que eram chamadas e identificadas como simples “lojas de departamento”?
Sério, não sei se é um problema de treinamento dos funcionários daqui de Salvador, mas eu estou para ter um treco toda vez que entro na C&a. Porque não existe uma única vez que entre nessa loja e um funcionário não brote das araras com a singela pergunta: “bom dia, senhora, você já tem o cartão C&A?”.
Já tentei ser educada, já tentei ser grossa. Já disse que não tinha o tal cartão e já disse também que não tinha um único cartão de crédito sequer para vê se largavam do meu pé. Não funcionou. E, daí, decidi partir para o plano B e dizer “sim, já tenho o cartão” – e nesse momento, fui ingênua ao achar que a chatice acabaria; em seguida logo ouvi: “e você é titular ou dependente?. 

Argh! é de pirraça, não é?
Alguém me explica por quê a C&a ainda faz isso? Tem realmente alguém que, por insistência, tope fazer essa bendito cartão?? E vem cá, se resolveu mudar de “loja de departamento” para “fast fashion”, com direito a flagship no Shopping Iguatemi de São Paulo, porque não investe em melhores táticas de abordagem ao cliente???



E só para não acharem que essa é uma crítica direcionada à C&a apenas, digo logo. Aquele botãozinho de satisfação da Renner também é uma chatice. Confesso que saio da loja sempre pelos cantos, para fugir daquela maquininha. Certa vez experimentei apertar o botão vermelho (só de pirraça..) e o carinha ficou querendo saber o motivo. “Argh” outra vez.
Investir em melhor design e qualidade de roupas certamente foi uma tática para conquistar mais consumidores da classe média e até alguns consumidores apaixonados por moda das classes mais altas. Mas, sinceramente? Não dá para querer ter aparência de fast fashion e alma de loja de departamento. As duas coisas não combinam, são contraditórias.
Não digo que por isso eu vou deixar de frequentar a C&a, a Renner ou Riachuelo (de certa forma, a dependência é maior que a indignação). Mas não custava nada acabar com essa baboseira e deixar as consumidoras curtirem as araras e as novidades em paz, não é?
**** madames: o post “melhor do verão” vai ficar para a próxima terça-feira, 1/03. Só para ver se alguma outra madame manda as fotos para mim e me ajuda a fazer um post legal ****
Categoria: Sem categoria