post da Martinha Fonseca

Truque para a sobrancelha

27 jul 10

Houve uma época, pra lá dos anos 20 ou 30, que ter sobrancelhas bem fininhas era lei.





Graças a Nossa Senhora das Madames, no entanto, tal mania virou coisa do passado e atualmente a tendência é respeitar cada vez mais o formato “inicial” da sobrancelha, adaptando-o ao rosto da melhor forma – sem que isso implique, necessariamente, arrancar milhões e milhões de pelinhos (e as madames agradecem, até porque, desculpem-me a sinceridade, sobrancelha fina demais sempre me pareceu coisa de atriz pornô…).


Acontece que, para “acabar com o nosso barato” (kkk, nunca entendi essa expressão!), nem todas as mulheres foram abençoadas com uma sobrancelha grossa, cheia, sem falhas. E aí, #comofaz?

Como Nossa Senhora das Madames é uma garota ixpierta, ela nos deu várias alternativas: da tatuagem de henna a tatuagem definitiva, passando pelos lápis específicos para sobrancelha.

É claro que todo um caso é um caso, e há quem diga que chegar a sobrancelha perfeita é uma equação matemática das mais complicadas, mas, se o seu caso não for drástico a ponto de precisar de uma reparação definitiva ou se você não tem dindin para isso agora, uma boa solução é o lápis de desenhar. É, esse mesmo que você está pensando… aquele lápis que a gente costuma comprar para aula de artes na escola. Pretinho, com a ponta bem escura. 




* ele é uma maravilha! *

De todas as opções corriqueiras, é a que eu mais amo e que não abro mão de usar um só dia – até porque acho que as sobrancelhas nas quais se usa lápis para sobrancelha propriamente ficam muito marcadas, escuras, fake. E com o lápis de desenho dá para usar de manhã, de tarde, de noite sem pesar o rosto, sabe? Define a sobrancelha, tapa as falhas, disfarça imperfeições e da forma mais natural possível. amo! amo! amo!

Mas e vocês, madames? Quais os truques para a sobrancelha que vocês não vivem sem? 
OBS: os lápis para desenho são numerados, sendo o 6b o mais usado para as sobrancelhas.
Categoria: Sem categoria
post da Martinha Fonseca

Dou meu coração em troca. Será que aceitam?

26 jul 10

Sempre tive um carinho especial com as coleções de inverno. Acho as tendências dessa temporada mais charmosas, mais diferentes, mais ousadas até do que as coleções de primavera/verão, que, inevitavelmente, sempre vêm com flores, estampas e blábláblá. No inverno tudo sempre me pareceu mais criativo, mais legal de usar. Mas parece que rever conceitos e queimar a minha língua está começando a se tornar um hábito na minha vida – vide post das Crocs.

Tenho que confessar que estou in love com a coleção de primavera da Shoestock. Como meu bolso não comporta tudo que quero comprar…tô pensando em dar meu coração em troca. Será que eles aceitam??

Para ver o lookbook completo, clica aqui. Ou então, acessa o site www.shoestock.com.br
A loja, para quem não conhece, é lá de São Paulo, mas entrega em todo o Brasil!

Mara!

Categoria: Sem categoria
post da Martinha Fonseca

A cor certa na hora certa

26 jul 10

Tá pra nascer uma mulher que, nos últimos tempos, não tenha ficado apaixonada por esmaltes, imaginando que cores usar, como usar, quando usar. Se antes éramos obrigadas a escolher entre o sem graça Duna, o Renda e o Condessa, agora nos vemos perdidas (no melhor sentido possível!) entre milhões de possibilidades que vão dos tons nudes, como o capuccino que mostrei na semana passada, até os mais diferentes, como os coloridos da Hit e os foscos da linha Jóias Místicas da Risqué.  Eu mesma adoro todas essas milhões de cores – e se minha unha fosse maior (e um dia ela há de ser!), com certeza eu usaria quase todos os tons possíveis!

Acontece que essa mania de esmaltes nos deixa tão eufóricas com tantas possibilidades de cores que às vezes nos esquecemos que, em certas ocasiões, as cores mais coloridas não são as melhores opções.

Sério. Eu sei que isso pode desagradar milhões de mulheres que são apaixonadas por esmaltes (inclusive algumas que passam por aqui hehehe…desculpem-me, madames!) , mas, na minha humilde opinião, tem hora pra tudo. Se você é jovem, com seus vinte ou trinta e poucos anos, por exemplo, e você vai sair com suas amigas, as unhas coloridas são o que há. A melhor opção, de-fi-ni-ti-va-men-te. Mas se você trabalha num escritório de uma multinacional (que não seja a Google, claro, porque lá nenhuma regra se aplica), num escritório de advocacia ou tem uma reunião super importante para ir, que tal usar uma cor mais comum? Afinal, ninguém quer que o assunto da reunião acabe virando as próprias unhas. Ser fashion, é uma coisa; ser inconveniente, darling, é outra completamente diferente.

Então, madame, se o evento é importante e mais formal, os rosinhas de que falei lá no início estão aí pra isso – infelizmente, hehehe!


Não custa nada usar de vez em quando né? * 

De todo modo, se você é daquelas que morre mas não volta, depois de tantas invenções, a usar aquela cor sem graça, os tons de vermelho são uma ótima saída. É claro que vermelho não é a cor mais discreta do mundo, mas ela é mais comum e mais sóbria, o que faz dele uma boa possibilidade.

Lembre-se: usar os tons certos nas ocasiões certas contribui para a construção positiva da sua imagem profissional, mostra equilíbrio e bom gosto. Nesse mundo ainda tão cheio de preconceitos com a eficiência, a capacidade e a inteligência da mulher, não custa nada dar uma forcinha para que as pessoas te levem mais a sério, néam?

Ah sim! E antes que alguma maníaca por esmalte de plantão me chame de maluca, eu não sou a única a pensar assim. Aliás, a famosíssima editora de moda da Marie Claire (EUA) Nina Garcia é ainda mais radical nas possibilidades:

“O esmalte deve chegar aos extremos. Sempre. Prefira o vermelho fatal ou uma misturinha rosa. Talvez o preto se você sentir vontade de ficar dark ou punk rock. Mas não escolha qualquer posição intermediária da palheta de cores. Corais e fúcsias são simplesmente erradas. Se você não consegue se decidir, prefira as unhas claras. Elas a farão parecer organizada e finalizarão seu look de forma refinada”. (do livro “As 100 +”, pág. 136)

Tudo bem que a Nina Garcia sabe muuuuito de moda. Mas a gente não precisa seguir a risca tudo que ela fala, né? A realidade dos Estados Unidos é bem diferente da nossa. De tudo que ela falou, nesse caso, o que vale a pena levar em consideração é a última frase “finalizarão seu look de forma refinada”, principalmente no que se refere ao ambiente de trabalho – já que, em outras ocasiões, os tons corais e fúcsias tem o seu valor, néam?!

E olha, hoje em dia tem tanta gente aprendendo a fazer as próprias unhas que fica ainda mais fácil usar, quando necessário, uma cor mais sóbria. Não tem desculpa: depois daquela reunião suuuper importante, basta reservar um tempinho em casa e prontinho, as cores voltam a aparecer nas unhas!

Para finalizar, vale a pena lembrar que cores nas unhas não significam as mesmas cores na roupa, como Glorinha Kalil (kkk..adoro falar como se fosse íntima dela!) já falou certa vez no Fantástico.

* meio cafona, néam? *

Bem, é isso. #ficaadica

Categoria: Sem categoria